Home Notícias Revista ‘TIME’ elege como ‘guardiões’ do ano de 2020 os profissionais de saúde na linha de frente contra a covid-19

Revista ‘TIME’ elege como ‘guardiões’ do ano de 2020 os profissionais de saúde na linha de frente contra a covid-19

por Gabriel Toueg

Ilustração: Tim O’Brien

Todos os anos, desde 1927, a revista estadunidense TIME escolhe uma personalidade de destaque. Neste ano, como tem ocorrido em outros com eleições presidenciais nos Estados Unidos, o presidente-eleito Joe Biden e a vice-presidente-eleita Kamala Harris, que assumirão a Casa Branca no dia 20 de janeiro, foram eleitos como personalidades. Mas na seleção dos “guardiões”, a TIME destacou os profissionais de saúde por seu trabalho na linha de frente contra a pandemia. “Guardiões se colocam na linha para defender os ideais sagrados da democracia”, destacou a publicação.

⇨ Acesse o especial ‘Heróis da linha de frente’, da ‘TIME’

“Em 2020, eles lutaram em várias frentes. Na linha de frente contra a covid-19, os profissionais de saúde de todo o mundo exibiram o melhor da humanidade – abnegação, compaixão, resistência, coragem – ao mesmo tempo em que protegiam o máximo que podiam. Ao arriscar suas vidas todos os dias pelos estranhos que chegavam ao seu local de trabalho, eles tornaram evidente um princípio fundamental da medicina e da democracia: a igualdade. Por meio de seu exemplo, os profissionais de saúde este ano protegeram mais do que vidas”.

Pesquisa entre leitores

Biden e Kamala (foto: Jason Seiler)

Este ano, em pesquisa feita pela TIME entre seus leitores, a preferência foi pelos profissionais de serviços essenciais, como os da saúde. A revista listou “enfermeiros, médicos, entregadores, funcionários de mercados e muitos outros que seguem arriscando suas vidas na linha de frente da pandemia“. “Esses heróis venceram com 6,5% dos mais de 8 milhões de votos na pesquisa deste ano, que pediu que os leitores selecionassem a pessoa ou grupo de pessoas que tiveram maior influência em 2020”, explica a revista, em publicação em seu site na última segunda-feira (7).

“Trabalhadores (de serviços) essenciais venceram cerca de 80 outros candidatos, incluindo figuras famosas como o presidente Donald Trump, o CEO do Facebook Mark Zuckerberg e o papa Francisco, para a escolha dos leitores”. A decisão final foi divulgada ontem (10).

Embora a revista tenha escolhido a chapa eleita para governar o país, em um pleito com participação recorde e que tirou de Trump a reeleição, a escolha dos leitores não poderia ser diferente em um ano marcado pela pandemia que assolou o mundo mas que, ao mesmo tempo, tirou da humanidade o melhor que sabemos fazer: a adaptação, o esforço coletivo, os avanços e aprendizados, alguns em tempo recorde, da ciência.

Justiça racial

Porche Bennett-bey (imagem: Bisa Butler)

Ainda como guardiões, a TIME escolheu Porche Bennett-bey, Assa Traoré e organizadores de movimentos pela justiça racial nos EUA, em um ano em que o tema esteve na pauta da sociedade e da política na esteira do assassinato de George Floyd por um policial branco em Minneapolis, em maio.

“No rescaldo de sua morte, uma onda de indignação surgiu e foi surfada por organizadores, veteranos e recém-energizados, para levar milhões às ruas e destacar as desigualdades em um mundo que afirma ser bem melhor do que é”, lembra a publicação, que ainda diz que o movimento “encontrou sua voz em multidões”: Porche Bennett-Bey, “uma mãe entregando seu relatório franco a Joe Biden”; Assa Traoré, exigindo em Paris “a responsabilização da polícia pela morte de seu irmão”.

“Neste ano extraordinário, eles guardaram a verdade – a verdade vivida”, escreve a TIME. “Bennett-Bey tinha uma mensagem simples para o então candidato Biden em setembro: ele precisava entender melhor a experiência negra em sua cidade natal. ‘Muita gente não vai dizer a verdade’, disse ela, sem hesitar. ‘Mas estou dizendo a verdade’.”

Fauci: luta também pela verdade

Anthony Fauci (foto: Stefan Ruiz)

Ao lado dos profissionais da linha de frente, também foi eleito como “guardião” em 2020 da TIME o médico Anthony Fauci, considerado o mais importante especialista em doenças infecciosas dos EUA. Diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas do país, Fauci surgiu como figura confiável em meio à onda de desinformação (que a OMS chamou de infodemia).

A TIME destacou: “Em Washington, Fauci liderou não apenas a batalha contra a covid-19, mas também pela verdade – com mensagens claras e consistentes fundamentais para a saúde pública. Com integridade inabalável, cutucou, elipsou e corrigiu gentilmente um presidente acostumado a operar em uma realidade de sua própria construção, balizado pela repetição fervorosa de mentiras”.

Fauci ficou em segundo lugar na escolha dos leitores, atrás dos profissionais de serviços essenciais, com 5% dos votos. A revista lembra que o médico “virou alvo público da ira de Trump quando deu o alarme sobre a falha dos EUA em conter o vírus e continua a ser uma das vozes mais autorizadas no país no combate à covid-19”, como diz a revista. O médico foi ainda eleito uma das 100 pessoas mais influentes de 2020.

Foto de capa: Danny Kim, para a ‘TIME’ (veja o especial ‘Olho do furacão: uma semana na vida de um paramédico lutando contra a pandemia de covid-19‘)

Posts relacionados

1 Comentário

Notícias Life - Área da enfermagem ganha maior destaque em 2020 4 de janeiro de 2021 - 15:18

[…] SAS – Revista ‘TIME’ elege como ‘guardiões’ do ano de 2020… [acesso: 28/12/2020… […]

Reply

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este site.