Home Reconhecimentos Projeto de telemedicina do SAS Brasil vence Prêmio Abril & Dasa de Inovação na categoria Medicina Social

Projeto de telemedicina do SAS Brasil vence Prêmio Abril & Dasa de Inovação na categoria Medicina Social

por Gabriel Toueg

O SAS Brasil é o vencedor, na categoria Medicina Social, do Prêmio Abril & Dasa de Inovação Médica, iniciativa do grupo editorial Abril, que publica, entre outros títulos, as revistas Veja e Veja Saúde, e do conglomerado de medicina diagnóstica Dasa. Com curadoria de Veja Saúde, a premiação se propõe a “reconhecer projetos e profissionais médicos que fazem a diferença nas áreas científica, clínica e assistencial”. “O trabalho do SAS Brasil diante da pandemia se sagra vencedor com o voto do júri técnico por ter casado de maneira efetiva e significativa uma abordagem assistencial, sensível e tecnológica num país tão desigual como o nosso“, disse ao Blog do SAS Brasil Diogo Sponchiato, redator-chefe de Veja Saúde.

Acesse o site do Prêmio Abril & Dasa de Inovação Médica

O SAS Brasil, representado pela médica Adriana Mallet, fundadora e coordenadora de Saúde da organização, foi reconhecido em função do projeto de telemedicina e das cabines usadas para os atendimentos remotos em comunidades em São Paulo e no Rio. “O SAS Brasil foi além da telemedicina, realizando um trabalho de campo e de acessibilidade louvável“, disse Sponchiato. A edição deste ano foi inteiramente dedicada a ações voltadas ao enfrentamento da pandemia de covid-19.

A categoria Medicina Social “se destina a projetos concebidos e realizados por médicos e demais profissionais com atuação sobre um grupo específico ou a população como um todo, tendo a meta de promover o acesso dos cidadãos a recursos que beneficiem a saúde”, destaca o site do prêmio. Assista ao momento da revelação, durante evento online realizado hoje (9) e transmitido pelas redes sociais da Abril e da Dasa:

 

Ver esta publicación en Instagram

 

Una publicación compartida por SAS Brasil (@sasbrasil4x4)

Telemedicina como aliada da saúde pública

Para Adriana, o reconhecimento traduz a importância que a telemedicina teve na pandemia. “É uma honra ganhar um prêmio que atesta a importância da inovação em saúde no país durante um período tão difícil”, diz a médica. “Levamos atendimento médico gratuito de forma digital e inovadora para milhares de pessoas. Nossa expectativa é que a telemedicina se torne aliada da saúde pública do Brasil para além da covid-19”, pontua.

“Esse conceituado prêmio reconhece os esforços e a eficiência do trabalho de todos os voluntários e profissionais do SAS Brasil”, afirma Joaquim Monteiro, CEO do Sertões. “Todos os anos, principalmente neste que está sendo duramente afetado pela pandemia, nossa parceria leva alegria e saúde para comunidades remotas e carentes dentro e fora do percurso do maior rali das Américas”.

Festival de criatividade e inovação

Além da categoria em que o SAS Brasil venceu, o prêmio ainda reconheceu inovações em medicina diagnóstica, genética, prevenção e em tratamento. Na categoria Inovação em Prevenção, o vencedor foi o projeto IACOV-BR: Inteligência Artificial para Covid-19 no Brasil, de profissionais da Faculdade de Saúde Pública da USP. A categoria Inovação em Genética premiou o projeto OmniLAMP: diagnóstico molecular em qualquer lugar, apresentado por profissionais da Visuri e do Instituto René Rachou da Fiocruz Minas.

O projeto RADVID Inrad-HCFMUSP: Diagnóstico de Covid-19 através da análise de imagens radiológicas utilizando algoritmos de inteligência artificial , apresentado por médicos do Inrad-HCFMUSP, foi o escolhido na categoria Inovação em Medicina Diagnóstica. E na categoria Inovação em Tratamento, o escolhido foi o projeto de profissionais do IMREA-HCFMUSP: Cicloergômetro Vida Inteligente e a transformação digital da reabilitação. A premiação será tema de reportagem na edição de dezembro da revista Veja Saúde e os trabalhos vencedores serão comentados em um episódio do podcast Detetives da Saúde.

⇨ Perdeu a premiação? Reveja no YouTube

Na abertura do evento, Romeu Côrtes Domingues, presidente executivo do Conselho de Administração da Dasa, revelou que 76 trabalhos foram inscritos para a premiação. A cerimônia prestou homenagem aos médicos e aos demais profissionais de saúde que atuaram de forma tão importante e decisiva neste ano tão desafiador. O evento teve a participação da infectologista Cristiana Toscano, jurada do prêmio e representante do Brasil no Grupo de Trabalho de Vacinas contra a covid-19 da Organização Mundial da Saúde (OMS). “Meu primeiro emprego foi na UTI de doenças infecciosas do Hospital das Clínicas, da USP”, contou Cristiana. Ela ainda contou que trabalhou na OMS, em Genebra, na detecção e prevenção de doenças infecciosas.

Jurados: time de especialistas

Júri do prêmio (clique para ampliar)

O júri da edição 2020 do Prêmio Abril & Dasa de Inovação Médica reuniu um forte time de especialistas nas áreas de infectologia e epidemiologia, microbiologia, telemedicina, professores e profissionais atuantes no mercado público, privado e em posições de gestão. Conheça todos os jurados.

  • Cristiana Toscano, médica infectologista e epidemiologista, professora da UFG, onde chefia o Departamento de Saúde Coletiva, coordenadora do Núcleo de Avaliação de Tecnologias em Saúde da UFG e membro de comitês para assessoramento em vacinas e imunizações, como o Grupo Técnico Assessor para Vacinas (TAG) da OPAS e o da OMS;
  • Paulo Andrade Lotufo, epidemiologista e professor titular de Clínica Médica do HC/FMUSP, diretor do Centro de Pesquisa Clínica e Epidemiológica da USP e do Centro de Inovação e Medicina Translacional (CIMTRA);
  • Natalia Pasternak, doutora em microbiologia pela USP, membro da Science Teaching Fellows Alumni Community da American Society for Microbiology, publisher da revista Questão de Ciência e diretora-presidente do Instituto Questão de Ciência;
  • Gonzalo Vecina, professor da Faculdade de Saúde Pública da USP, ex-presidente da Anvisa, entre 1999 e 2003, ex-secretário municipal de Saúde de São Paulo e ex-CEO do Hospital Sírio-Libanês, entre 2007 e 2016, além de autor do livro Gestão em Saúde;
  • Jefferson Gomes Fernandes, neurologista, vice-presidente da Associação Brasileira de Telemedicina e Telessaúde, presidente do Conselho Curador do Global Summit Telemedicine & Digital Health da Associação Paulista de Medicina (APM) e coordenador do Programa de Educação em Telemedicina da APM;
  • Romeu Côrtes Domingues, presidente do Conselho da Dasa, graduado em Medicina pela UFRJ e pós-graduado por Harvard com especialização em Radiologia, membro dos conselhos da SulAmérica e da Rede Ímpar de Hospitais e da Radiological Society of North America (RSNA) e fundador da Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed);
  • Denizar Vianna Araujo, médico com mestrado em Cardiologia e doutorado em Saúde Coletiva, professor da Faculdade de Ciências Médicas da UERJ e ex-secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde;
  • Elie Fiss, pneumologista, professor titular da FMABC e coordenador do Centro de Pneumologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo;
  • Emerson Gasparetto, mestre e doutor em Radiologia pela UFRJ, ex-vice-presidente da área médica da Dasa e Chief Medical Officer (CMO) da Ímpar, rede hospitalar que integra o Grupo Dasa;
  • Alberto Chebabo, infectologista, médico do Serviço de Doenças Infecciosas e Parasitárias do Hospital Clementino Fraga Filho da UFRJ, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia e gerente de relacionamento médico da Dasa;
  • Gustavo Campana, especialista em Patologia Clínica/Medicina Laboratorial com MBA em Gestão de Saúde, diretor médico da Dasa e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial;
  • Nancy Bellei, infectologista, pesquisadora da Unifesp, onde coordena a pós-graduação em Infectologia na área de viroses respiratórias e consultora do Ministério da Saúde para a pandemia do coronavírus.

Posts relacionados

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este site.