Home Método AGIR Em série de eventos online, SAS Brasil compartilha sua metodologia própria de inovações para o acesso à saúde

Em série de eventos online, SAS Brasil compartilha sua metodologia própria de inovações para o acesso à saúde

por Marina Cardoso

“O que o SAS Brasil fez desde o início da pandemia é o que muitas instituições de saúde tentam há vários anos”. Ao longo dos últimos meses, ouvimos de importantes parceiros comentários como esse, sobre como conseguimos colocar em prática, de maneira ágil e segura, ideias e soluções para continuar levando saúde para quem não tem.

Mas como isso é possível? Percebemos que por trás do que sempre chamamos de “jeitinho SAS Brasil de fazer acontecer” existia um método próprio, sistematizado e genuíno de inovação que merecia ser compartilhado para que mais pessoas e instituições conheçam, possam se inspirar e principalmente consigam replicar a nossa metodologia.

Foi assim, então, que desenhamos o Método AGIR (sigla para ações que geram impactos reais) e resolvemos partilhar todo esse conhecimento com o público em uma série de eventos online sobre as inovações e as soluções do SAS Brasil para permitir a mais gente o acesso à saúde especializada e de qualidade em todo o país.

Aprendizado, interação e networking

O formato dos eventos, transmitidos online, também foi pensado para ser um espaço de aprendizado, interação e networking. A proposta é que cada live dure cerca de 45 minutos e aconteça em três partes de quinze minutos cada: na primeira, um representante do SAS Brasil fala sobre a experiência no tema daquele dia. Na segunda parte, convidados de peso debatem sobre o impacto e a relevância do assunto no contexto da políticas para a saúde pública. Por fim, os participantes que acompanham a transmissão podem fazer perguntas diretas aos participantes. 

Entre outubro e dezembro, serão ao todo seis eventos. Três deles já foram realizados e três estão agendados para os próximos dias e semanas. Confira os temas e anote as datas na sua agenda: 

Lives já realizadas:

  • SAS Brasil Inova: apresentamos as Unidades de Teleatendimento (UTAs) e as cabines de telemedicina como soluções para garantir mais acesso da população à telessaúde e fornecer uma estrutura ideal para médico e paciente.
  • SAS Brasil Salva: explicamos como são realizados os telemonitoramentos de pacientes suspeitos de covid-19 que são atendidos em regiões em que o SAS Brasil tem equipes de campo, prática que nos garantiu ter zero óbitos de pacientes com contágio pelo novo coronavírus.
  • SAS Brasil Cuida: relembramos a história e o impacto do Projeto Anariá, de saúde e valorização da mulher, com foco na oncologia ginecológica e no tratamento do câncer de colo de útero, a quarta doença que mais mata mulheres no país.

Próximas lives:

  • SAS Brasil Forma (2/12) às 19h: falaremos sobre a importância das parcerias com universidades e faculdades de Saúde, tanto para os atendimentos que fazemos quanto para a formação acadêmica dos estudantes.
  • SAS Brasil Engaja (8/12, às 19h): discutiremos a importância do trabalho das equipes de campo para garantir mais acesso da população aos teleatendimentos e entender os gargalos e soluções da operação.
  • SAS Brasil Transforma (15/12, às 19h): explicaremos como a construção da jornada do voluntário SAS Brasil foi crucial para manter uma equipe atuando de forma constante e engajada durante todo o período de teleatendimentos.

⇨ Acompanhe o nosso Instagram para ser avisado sobre as lives

Inovação em meio à pandemia 

Para a estreia das lives do Método AGIR, nosso primeiro evento online foi o SAS Brasil Inova, que marcou também a apresentação oficial das nossas unidades de teleatendimento (UTAs) e cabines de telemedicina. A live foi moderada pela jornalista Giuliana Miranda, colaboradora do jornal Folha de S. Paulo, das rádios portuguesas RTP 3 e RTP Internacional e do portal Medscape sobre temas de saúde, medicina e pesquisas.

⇨ Assista à gravação da live SAS Brasil Inova

O evento reuniu ainda a diretora e coordenadora de Saúde do SAS Brasil, Adriana Mallet, a coordenadora de estrutura das UTAs e cabines, Flaviane Ramos, e o CTO e co-founder da SAS Smart, Anderson Scaloni. Parceiros importantes também foram convidados. Joaquim Monteiro, CEO do Sertões, falou sobre a replicabilidade dessas estruturas em diversas regiões do país e Luna Arouca, coordenadora da Redes da Maré, falou sobre o impacto das cabines nas comunidades em que o SAS Brasil atua.

Zero óbito: como fizemos? 

Para o segundo evento da série, o SAS Brasil Salva, reunimos convidados para conversar sobre um importante tema: nosso método de telemonitoramento de casos suspeitos de covid-19. Foi esse acompanhamento, seguido de perto e constante dos pacientes, que garantiu uma taxa de zero óbito por coronavírus desde o início dos nossos teleatendimentos.

⇨ Assista à gravação da live SAS Brasil Salva

Além da participação da médica Adriana Mallet, diretora do SAS Brasil, a live contou com a presença de Eduardo Pádua, cofundador do Movimento União Rio, do sócio-fundador da Estater Pércio Freire Rodrigues, de Fernando Bozza, idealizador do aplicativo Dados do Bem e de Reginaldo Lima, líder do G10 das Favelas. Todos são parceiros do SAS Brasil no projeto Conexão Saúde: de olho na covid, encabeçado pela Fiocruz. 

Saúde feminina em destaque

Para fechar o Outubro Rosa, mês destinado a ações de conscientização e combate ao câncer de mama, com a mensagem de que todo mês é tempo de cuidar da saúde da mulher, nosso terceiro encontro, SAS Brasil Cuida, relembrou a trajetória e evolução de uma das iniciativas mais antigas e maduras da organização, o Projeto Anariá,  que reúne iniciativas de saúde feminina, focadas no combate ao câncer de colo de útero, e de valorização da mulher no contexto da violência doméstica.

⇨ Assista à gravação da live SAS Brasil Cuida

A live foi intermediada por Gabriel Toueg, jornalista e coordenador voluntário de Comunicação do SAS Brasil, e pela médica Adriana Mallet, diretora da entidade. Participaram as especialistas Daiane Tayer, gerente médica sênior de câncer de mama da Roche, Adriana Lima, gerente jurídica, de Responsabilidade Social & Sustentabilidade, também da Roche, e Claudia Toledo, gerente de projetos e parcerias da AMIGOH, braço filantrópico do Hospital Israelita Albert Einstein que viabiliza projetos de assistência, educação e pesquisa nas áreas de Oncologia e Hematologia.

 

Posts relacionados

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este site.